Flávio Carneiro, Manuela d'Ávila e Pedro Meira, jurados do prêmio Casa de las Américas em Cuba

O Prêmio Literário Casa de las Américas, um dos mais importantes do mundo, completou 60 anos de existência. Fundada em 1960, poucos meses depois da Revolução Cubana, a Casa de las Américas realiza um trabalho primoroso em prol da valorização cultural na América Latina e Caribe e o prêmio literário é uma de suas realizações mais relevantes. Já foram jurados do prêmio nomes como Alejo Carpentier, Julio Cortázar, Italo Calvino, Nélida Piñon, Antonio Candido, José Saramago, Chico Buarque, entre tantos outros.


Manuela d'Ávila e Flávio Carneiro.

Em janeiro deste ano, tive a alegria e a honra de estar entre os jurados brasileiros – na categoria de não-ficção –, ao lado de Pedro Meira Monteiro e Manuela d’Ávila. Foram 10 dias de muita leitura, muito trabalho e, sobretudo, muito aprendizado. Cuba tem sempre alguma coisa a nos ensinar e desta vez não foi diferente. Lições de companheirismo, dignidade, luta, alegria, criatividade.



Da esquerda para a direita: Pedro Meira Monteiro, Flávio Carneiro e Manuela d'Ávila.

O livro premiado foi Paletó e eu: memórias de meu pai indígena, da antropóloga Aparecida Vilaça. Belíssimo, recomendo muito!


Além da participação como jurados, estivemos em mesas de debates e outros eventos, em Havana e Cienfuegos. Num breve intervalo nos trabalhos, pedi ao Jorge Fornet – Diretor, desde 1994, do Centro de Investigações Literárias da Casa – que concedesse um depoimento exclusivo aos amigos do Deixa Falar, contando um pouco da história da Casa de las Américas e do seu prestigioso prêmio literário.




Jorge Fornet e Flávio Carneiro.

Muito amável, como sempre, Jorge Fornet prontamente atendeu ao pedido. Agradeço ao Pedro Meira Monteiro pela gravação e edição do vídeo e deixo os amigos com as palavras do nosso querido Jorge Fornet, neste histórico depoimento.

Flávio Carneiro


O agradável e importante depoimento de Jorge Fornet está dividido em 3 partes:








Escritor, roteirista e professor de literatura na UERJ. Escreveu 16 livros – entre romances, coletâneas de contos e crônicas, ensaios – e dois roteiros para cinema. É autor da “Trilogia do Rio de Janeiro”, composta pelos romances “O Campeonato”, “A Confissão” e “A Ilha”. Seu livro mais recente é um policial: “Um romance perigoso”. O editor deste blog considera “Passe de Letra”, de autoria de Flávio, um clássico sobre a literatura do futebol. Parte de sua obra foi publicada em outros países, como Estados Unidos, Inglaterra, França, Itália, Portugal, Alemanha, Colômbia e México. Site do Flávio

0 visualização

Deixa Falar: Criação e Edição de Raul Milliet Filho

© 2020 por DEIXA FALAR - O Megafone da cultura -  Orgulhosamente criado com Wix.com