Gaviões da Fiel



Sou eu, o filho dessa pátria-mãe hostil Herdeiro da senzala Brasil Refém da maculada inquisição Axé meu irmão! O pai de mais um João e de mais um Miguel Na mira da cega justiça que enxerga o negro como réu Sou eu o clamor da favela O canto da aldeia, a fome do gueto Meu punho é luz de Mandela No samba o levante do novo Soweto Cacique Raoni da minha gente Guerreiro gavião, presente!


Essa terra é de quem tem mais Conquistada através da dor As migalhas que você me oferece Só aumentam minha força pra mostrar o meu valor. Meu lugar de fala, a voz destemida Cabeça erguida por nossos direitos Quando o fascismo do asfalto É opressor à militância por respeito O ventre das mazelas sociais Ante ao preconceito vai se libertar Vidas negras nos importam O grito da mulher não vão calar Meu gavião chegou o dia da revolução Onde a democracia desse meu Brasil Faça o amor cantar mais alto que o fuzil


Escute o meu clamor Oh, pátria amada É hora da luta sair do papel Basta é o grito que embala o povo Eu sou Gaviões, sou a voz da fiel.


Samba Enredo 2022 - Basta! G.R.E.S. Gaviões da Fiel (SP)

8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Deixa falar

Sacrifício

Deixa Falar: Criação e Edição de Raul Milliet Filho