O discurso de Darcy Ribeiro no enterro de Glauber Rocha

Por Flávio Carneiro


No enterro de Glauber Rocha (1981), as palavras fortes e certeiras de Darcy Ribeiro. Dois grandes, com a capacidade de se indignar com a mediocridade, a hipocrisia, a tortura, os desmandos no país e, sobretudo, que mantiveram por toda a vida aquilo que é inerente a um ser humano digno: a capacidade de se preocupar com a dor do outro. Que falta nos fazem.


Um trecho de Glauber O Filme, Labirinto do Brasil (2003), direção de Sílvio Tendler.


A força de Glauber Rocha: trecho de Deus e o Diabo na Terra do Sol.




Escritor, roteirista e professor de literatura na UERJ. Escreveu 16 livros – entre romances, coletâneas de contos e crônicas, ensaios – e dois roteiros para cinema. É autor da “Trilogia do Rio de Janeiro”, composta pelos romances “O Campeonato”, “A Confissão” e “A Ilha”. Seu livro mais recente é um policial: “Um romance perigoso”. O editor deste blog considera “Passe de Letra”, de autoria de Flávio, um clássico sobre a literatura do futebol. Parte de sua obra foi publicada em outros países, como Estados Unidos, Inglaterra, França, Itália, Portugal, Alemanha, Colômbia e México. Site do Flávio

646 visualizações